FRIDA KAHLO e outras histórias. 02 de Dezembro de 2015, 13:16

Por Michele Merlucci.

No Instituto Tomie Ohtake em São Paulo, está rolando a exposição Frida Kahlo: Conexões entre mulheres surrealistas no México. É uma mostra de obras intensas, dramáticas e subjetivas vinculadas ao surrealismo. Mulheres artistas mexicanas e estrangeiras, naquela tentativa desesperada de escapar do império do realismo e do racionalismo.
São artistas mulheres reconhecidas no passado como “esposas” desse ou daquele artista, mas que aqui são protagonistas, as grandes criadoras, desafiadoras e produtoras de uma arte que permite reflexões e que nos deixa à vontade para comentar: que incríveis.
 A curadora Teresa Arqc reuniu obras de 15 artistas (Frida Kahlo, Lola Álvarez Bravo, María Izquierdo, Leonora Carrington, Kati Horna, Jacqueline Lamba, Alice Rahon, Remedios Varo, Bona Tibertelli, Bridget Tichenor, Cordelia Urueta, Lucienne Bloch, Olga Costa, Rosa Rolanda e Sylvia Fein), que adotaram uma postura pessoal, criadoras independentes que nos deram um mundo inovador e cheio de imaginação.
Eu, que adoro uma boa dose de drama e uma selfie bem tirada, fiquei um bom tempo olhando para o quadro de Frida Kahlo, Diego en mi pensamiento, pintado em 1943. Dá para sentir o amor que ela nutria pelo marido, Diego Rivera, mesmo em meio a tanta infidelidade. Nota-se também um olhar de sofrimento profundo.

Frida Kahlo, Diego en mi pensamiento, 1943, Oil on masonite, 76 x 61 cm, ©2015 Banco de México Diego Rivera & Frida Kahlo Museums Trust.

Outra obra que me deixou fascinada foi a Colagem com duas moscas feita em 1953. Esse foi um dos anos mais sofridos de sua vida, onde teve a perna amputada na altura do joelho. 
Em seu diário havia muitos textos ambíguos, ora com muita tristeza, ora com afirmações do tipo “Pés, para que os quero se tenho asas para voar.” Fico pensando se as moscas representam as asas ou a sujeira do momento.


Frida Kahlo – Colagem com duas moscas, 1953

Como amo o mundo de fantasias e um universo cheio de imaginação em que a obra nos deixa viajar, aproveitei para apreciar esse lindo quadro de Remédios Varo, Roulotte (Interior en Marcha) de 1955. Sua técnica consistia num processo árduo e delicado. Começava com um desenho completo para então transferi-lo para a tela, aplicava delicadamente o verniz e a camada de tinta, combinados com gotas, borrões e arranhados, trabalhando profundidade e superfície. A técnica permitia aproveitar as nuances entre fundos escuros e personagens claros.


Remédios Varo, Roulotte (Interior en Marcha), 1955

Além das obras, a exposição conta com muitas fotos, matérias originais sobre as artistas, filmes e os incríveis "looks" de Frida....que são lindos!

A entrada custa R$ 10,00 e sempre haverá uma pequena fila, mas tudo bem, vale a pena. Coloque algo confortável nos pés, se estiver de bolsa deixe no guarda volumes e com uma garrafinha de água nas mãos (e claro, seu celular) sinta essa linda exposição.

Até 10.01.2016, no Instituto Tomie Ohtake, na Av. Faria Lima, 201 (entrada pela R. Coropés) – Pinheiros, SP.

Importante: os ingressos são divididos em quatro períodos de visitação, com acesso das 11h às 13h, das 13h às 15h, das 15h às 17h e das 17h às 19h, todos os dias.